sexta-feira, 20 de junho de 2008

Cine Lançamento

.
Eu Sou a Lenda

Um vírus mortal dissemina-se pela ruas de Nova York e dizima a população da cidade mais importante dos Estados Unidos. Apenas uma pessoa sobrevive, o cientista Robert Neville (Will Smith), que procura saber os motivos de ter ficado imune ao vírus. Junto com o cão de estimação, percorre Nova York em busca de sobreviventes. Porém, Neville começa a ser perseguido por criaturas mutantes que saem à noite para se alimentar.
O mais novo filme protagonizado por Will Smith quebrou recordes de bilheteria tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil durante o final de semana de estréia, em janeiro deste ano. Sob ótica caótica e ambientada no futuro, a fita mistura ficção científica e ação e remonta uma das principais cidades do mundo, Nova York, em estado devastado. Há apenas um sobrevivente, e tal personagem – o cientista – é quem conduz a história. O ritmo nem sempre é ágil, intermediado por flashbacks dramáticos e discussões paralelas alongadas.
As assustadoras criaturas, uma variação de vampiros (não podem entrar em contato com a luz e se alimentam de sangue), todas por computação gráfica, utilizam movimentos rápidos o que não dá carga de vivacidade ou realidade, mais parecendo um jogo de vídeo-game. Uma falha semelhante ao de Van Helsing – O Caçador de Monstros.
O livro “I Am Legend”, escrito por Richard Matheson e publicado pela primeira vez em 1954, além de “Eu Sou a Lenda”, deu origem a dois outros filmes na linha ficção/terror: “Mortos que Matam” (de 1964, com Vincent Price) e “A Última Esperança da Terra” (1971, com Charlton Heston). Apesar de o clima de desolação aqui visto não ser uma sacada nova – vide “A Última Esperança da Terra” e “Extermínio” – o aspecto geral é interessante e provoca no público a sensação de isolamento e tormento.
A brasileiríssima Alice Braga, filha da ex-atriz da pornochanchada Ana Maria Braga (não a jornalista e apresentadora de TV) e sobrinha de Sônia Braga, aparece depois de uma hora de filme com um papel menor.
Filmado na verdadeiras Washington Square Park, em Nova York, e ponte do Brooklyn, o filme deve atrair mais o público masculino.
A Warner Bros detinha dos direitos do livro desde os anos 70, porém as tentativas de desengavetar o projeto foram fracassadas. Diretores como Ridley Scott e Guilhermo Del Toro foram cogitados para rodar o filme, mas desistiram. Michael Bay chegou a filmar em 2002 trechos com Will Smith, no entanto não continuou, até que caiu nas mãos do diretor de Constantine, Francis Lawrence.
Para quem conhece as antigas adaptações do livro de Matheson, “Eu Sou a Lenda” não passará de um pequeno aperitivo. Lançado em DVD na primeira quinzena de maio. Por Felipe Brida

Título original: I Am Legend
País/Ano: EUA, 2007
Elenco: Will Smith, Alice Braga, Charlie Tahan, Willow Smith, Salli Richardson.
Direção: Francis Lawrence
Gênero: Ficção Científica/Ação
Duração: 101 min.

Nenhum comentário: