quarta-feira, 30 de abril de 2014

Morre o ator Bob Hoskins, aos 71 anos


RIP: Bob Hoskins (1942-2014)
Ator inglês, indicado ao Oscar por "Mona lisa" (1986), faleceu ontem, de pneumonia. Ficou conhecido por papéis cômicos, dentre eles "Uma cilada para Roger Rabiit", "Minha mãe é uma sereia", "Sra Henderson apresenta" e "Hook: A volta do capitão gancho". No currículo incluem outros filmes importantes do cinema, como "Cotton Club", "Busca mortal", "Brazil: O filme", "Prece para um condenado" e "Pink Floyd: The wall".
O ator era casado pela segunda vez e deixa quatro filhos.

domingo, 27 de abril de 2014

Cine Lançamento


Uma noite de crime

Em um futuro próximo, devido às prisões superlotadas, a legislação norte-americana permite, uma vez por ano, por 12 horas, que as pessoas cometam qualquer tipo de violência, seja assassinato ou agressão, para extravasar o estresse. Nesse dia, chamado de “Purgatório” (Purge), a polícia não prende ninguém, e isto elimina a chance de novos delitos fora desse momento de crimes. Na noite do ‘Purge’, a residência de um empresário do ramo de segurança monitorada chamado James (Ethan Hawke) é invadida por criminosos insanos e mascarados, que espalham o terror entre a família da vítima.

Fatalmente a sinopse de “Uma noite de crime” desperta ampla curiosidade no público, pelo tom original do roteiro. Pois até certo ponto a história tem enormes atrativos diferenciados do cinema, com clima de tensão, medo, pavor e claustrofobia (os personagens ficam trancados em casa ameaçados pelos assassinos, pelo lado de fora). No percurso, a história não desvenda mistérios, derrapando em clichês pobres do cinema, na tentativa de provocar pânico no telespectador, sem sucesso algum. Os bandidos caçam os moradores daquele ambiente, sem estratégias ou planos melhores, e a família vítima dá o troco com violência exacerbada. Aliás, sangue tem de sobra, e mortes, idem, num espetáculo sensacionalista. Lembra outro filme, baseado em fatos reais, chamado “Os estranhos” (2008) – este sim era de impacto e assustador.
Assista há algum tempo e desaprovei o resultado. Para mim não serviu nem como passatempo, pois fita de violência gratuita não é comigo. Costumo passar longe, e aconselho o mesmo! O diretor, James DeMonaco, roteirista de “Jack” (1996) e “A negociação” (1998), prepara a continuação para o próximo ano. Ai de nós... Por Felipe Brida

Uma noite de crime (The purge). EUA/França, 2013, 85 min. Suspense/Terror. Dirigido por James DeMonaco. Distribuição: Universal

sábado, 26 de abril de 2014

Comentários do blogueiro



Acordei cedinho com as amostras do mês em DVD e Blu-ray (originais) que a Paramount e a Universal enviaram para mim. Há cinco anos as duas distribuidoras, que agora se juntaram para a distribuição de filmes nas locadoras, são parceira de primeira, encaminhando aos críticos de cinema, mês a mês, o que há de mais esperado e importante da temporada. E à frente disso tudo está a assessora de imprensa Madalena Martins, pessoa nota 10, antenada e dedicada na profissão. Valeu, Madalena! Ontem as divulgações já tiveram início.

Filmes desse mês: Questão de tempo, A grande beleza, Um time show de bola, Atividade paranormal: Marcados pelo mal, Jovem e bela, Blackfish: Fúria animal, Monster High - Monstros, câmera, ação! e Kick ass 2. Por Felipe Brida

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Comentários do blogueiro



Presente dado por mim a mim mesmo nessa Páscoa: o super box (livro e DVD) 'Jean Vigo', contendo dois livros escritos pelo falecido crítico de cinema Paulo Emílio Salles Gomes sobre o realizador francês, morto em 1934 aos 29 anos - o primeiro é a biografia oficial do cineasta, chamada "Vigo, vulgo Almereyda" e o outro, "Jean Vigo", em que Paulo Emílio analisa minúcias das produções de Vigo. Obviamente que no box há todos os filmes do diretor, que não foram muitos, devido à sua morte precoce, vítima de tuberculose; reunidos em "Jean Vigo Integral" estão dois curtas, A propósito de Nice (1929) e Taris ou A natação (1931), um média-metragem, Zero em comportamento (1933), e o único longa, "Atalante" (1934), todos devidamente restaurados. Há ainda um outro DVD extra incluso, com entrevistas de Truffaut (sobre Vigo) e de personalidades brasileiras sobre Paulo Emílio, no caso sua esposa, a escritora Lygia Fagundes Telles, além de Antonio Cândido e Ismail Xavier, e por fim um episódio-documentário da série "Cineastas do nosso tempo", sobre Vigo, dirigido por Jacques Rozier em 1964.
Tanto Paulo Emílio quanto Vigo caíram no esquecimento total, o que é lamentável...
Bom, o box, rico em material fotográfico, foi lançado no Brasil pela Cosac Naify, Edições Sesc SP e Versátil Filmes (só poderiam ser esses três mesmo para fazer um amplo resgate das obras do crítico P.E. e do cineasta J.V.).
Coisa de cinema (do bom cinema)! Ainda há salvação!


PS: Aos interessados, o box completinho está com preço promocional nas unidades do Sesc SP. Por Felipe Brida

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Especial sobre cinema


A distribuidora Colecione Clássicos continua a todo vapor lançando, no mercado brasileiro, filmes inéditos em DVD de obras-primas da Sétima Arte, muitas delas da Era de Ouro de Hollywood.
Neste mês a novidade é A cruz da minha vida ("Come back, little Sheba", de 1952), baseada na peça de William Inge e dirigida por Daniel Mann.
Deu a Shirley Booth o Oscar e o Globo de Ouro de melhor atriz - e o filme ainda recebeu duas outras indicações da Academia: atriz coadjuvante para Terry Moore e edição. Concorreu ainda a Cannes e ao Bafta.
"A cruz da minha vida" traz a história do casal Lola (Shirley Booth) e Doc Delaney (Burt Lancaster), que vivem uma relação extremamente conturbada, pois perderam a filha ainda criança. Ele é um alcoólatra em recuperação e ela, uma esposa dedicada. Tudo parece mudar quando o casal aluga um quarto para uma jovem, que passa a ser tratada como filha por Lola.

E no mês passado a Colecione Clássicos distribuiu no Brasil três outros clássicos inéditos em DVD: "Belinda" (1948, que recebeu 12 indicações ao Oscar), "Mogambo" (1953) e "Lili" (1953). Abaixo seguem as sinopses escritas por mim (a resenha/crítica de "Lili" já saiu na Middia Magazine do mês passado, e foi repostada no meu Face, enquanto que a de "Mogambo" e "Belinda" sairão na próxima Middia, no final desse mês). Os filmes já estão à venda nas principais lojas do ramo do Brasil (as capas em anexo são as originais lançadas agora pela C. Clássicos)

Belinda

Fim da Segunda Guerra Mundial. Em um vilarejo de pescadores na ilha canadense de Cape Breton, a jovem Belinda (ane Wyman), que é surda-muda, reside em uma humilde casa com os pais, Black (Charles Bickford) e Aggie (Agnes Moorehead). Certo dia, ela é apresentada ao dedicado médico Robert Richardson (Lew Ayres), por quem se apaixona. Ele corresponde e pretende casar-se com a garota. Até que, numa noite, Belinda é atacada e estuprada por Locky (Stephen McNally), um dos moradores do vilarejo. O caso toma proporções desafiadoras e delicadas quando Belinda descobre estar grávida daquele maníaco.

Mogambo

Na perigosa selva do Quênia, o caçador Victor Marswell (Clark Gable) gerencia com rigidez um acampamento que recebe diariamente visitantes de todos os lugares do mundo. Os dias seguem iguais, até que conhece, lá, duas charmosas turistas, Eloise Kelly (Ava Gardner) e Linda Nordley (Grace Kelly), que balançam o coração de velho homem. Como ironia do destina, ambas também se apaixonam por Victor, que terá de escolher com quem ficar. Mas só depois de encerrar a arriscada cruzada de conduzir aventureiros pela floresta para caçar gorilas africanos.

Lili


Órfã, a garota francesa Lili Daurier (Leslie Caron), de 16 anos, arruma emprego em uma companhia de teatro de marionetes. Apaixona-se pelo mágico Marc, o Magnífico (Jean-Pierre Aumont), homem mais velho, que a despreza. Abalada com a situação, pensa em suicídio, até que fica próxima do manipulador de marionetes Paul Berthalet (Mel Ferrer), que faz de tudo para que ela esqueça aquela paixão desastrosa.

      


sábado, 12 de abril de 2014

Cine Lançamento



Jackass apresenta: Vovô sem vergonha

O vovô Irving Zisman (Johnny Knoxville), de 86 anos, convida o neto, Billy (Jackson Nicoll), de apenas oito anos, para atravessar os Estados Unidos de carro, numa viagem alucinada. No caminho, aprontarão mil e uma nas ruas, tirando a atenção das pessoas e provocando confusões endiabradas.

A Paramount lançou no Brasil, no final do mês passado, o DVD e o Blu-ray da comédia "Jackass apresenta: Vovô sem vergonha", grande sucesso de bilheteria e a primeira investida de cinema do escrachado grupo de humor Jackass (do qual detesto). Enquanto o DVD vem com a versão de cinema (92 minutos de duração), o Blu-ray chega em "Versão Estendida com Metragem Hilariante Não Exibida nos Cinemas", com 10 minutos a mais.
Engraçado e com humor com certa agressividade, a comédia segue as esquetes do vovô sem vergonha, criado pelo ensandecido líder do Jackass, Johnny Knoxville, por meio das já batidas "câmeras escondidas" e pegadinhas com pessoas nas ruas, onde o personagem central, um velhinho descarado, provoca o transeunte, atropela placas de sinalização, quebra janelas de lojas e comete outras tantas zoeiras em público. O filme, assim como os quadros da TV do “Bad Grandpa”, é mais suportável porque não produz piadas escatológicas envolvendo vômitos, fezes e urina (eles são absurdamente craques em mexer com fluidos corporais em situações grosseiras que vou deixar de mencionar aqui). Por isto não tema ao ver o nome ‘Jackass’ na capa do DVD ou do Blu-ray: assista sem receio, pois garante diversão e não embrulha o estômago com alguns episódios da série.
Recebeu uma indicação ao Oscar de 2014, na categoria de maquiagem - realmente está irreconhecível Johnny Knoxville, o personagem-título da produção, envelhecido, cheio de rugas e capenga, porém com um pique que nem o jovem esbelto possui (e dá no que dá, as confusões tremendas). Um road movie cômico, de zoeiras, algazarras e maldades, mais voltado ao público jovem que se identificará com o humor.

PS: Para divulgar o filme, a Paramount distribuiu aos críticos brasileiros a máscara do vovô, em rico papel fotográfico, além do DVD, que segue na foto. Por Felipe Brida

Jackass apresenta: Vovô sem vergonha (Jackass Presents: Bad Grandpa). EUA, 2013, 92 min. Comédia. Dirigido por Jeff Tremaine. Distribuição: Paramount

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Nota de cinema

  

Festival Sesc Melhores Filmes chega a Catanduva em maio com a exibição de 13 filmes premiados

O público votou, e a programação foi fechada, para os cinéfilos de plantão! O Festival Sesc Melhores Filmes chega em sua 40ª edição trazendo ao público as principais produções mundiais de cinema de 2012/2013. Considerado o festival independente mais antigo do Brasil, o Sesc Melhores Filmes será realizado na capital e no interior, com uma vasta programação. Em Catanduva, o festival terá abertura no dia 06 de maio, nos Cinemas Lumiére (Garden Catanduva Shopping), com a exibição do premiado e polêmico brasileiro “O som ao redor”. Até o dia 11, também no Lumiére, os interessados em cinema autoral e cult terão a oportunidade única de assistir às produções com preço acessível. Programe-se e boa sessão!
Abaixo segue a programação do Sesc Melhores Filmes – edição de 2014 (na frente dos títulos estão informações relacionadas aos países que produziram as obras e o gênero de cada um).

Dia 06 (terça), às 20h – “O som ao redor” (Brasil – Drama)
Dia 07 (quarta), às 19h – “Frances Ha” (EUA – Comédia dramática)
Dia 07 (quarta), às 21h – “Las acacias” (Argentina/Espanha – Drama)
Dia 08 (quinta), às 19h – “Branca de Neve” (Espanha/França/Bélgica – Drama/Aventura)
Dia 08 (quinta), às 21h – “Amor” (França/Alemanha/Áustria – Drama)
Dia 09 (sexta), às 19h – “São Silvestre” (Brasil – Documentário)
Dia 09 (sexta), às 21h – “Azul é a cor mais quente” (França/Bélgica/Espanha – Drama)
Dia 10 (sábado), às 15h – “Zarafa” (França/Bélgica – Animação)
Dia 10 (sábado), às 19h – “Tatuagem” (Brasil – Drama)
Dia 10 (sábado), às 21h – “Pais e filhos” (Japão – Drama)
Dia 11 (domingo), às 15h – “Corda bamba – História de uma menina equilibrista” (Brasil – Drama)
Dia 11 (domingo), às 19h – “Mataram meu irmão” (Brasil – Documentário)
Dia 11 (domingo), às 21h – “Repare bem” (França/Itália/Brasil – Documentário)

Por Felipe Brida


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Morre o lendário ator Mickey Rooney, quatro vezes indicado ao Oscar


Morreu ontem aos 93 anos Mickey Rooney, lendário ator norte-americano, quatro vezes indicado ao Oscar - por Sangue de artista (1939), A comédia humana (1943), O preço da audácia (1956) e O corcel negro (1979).
Baixinho e gordinho, nascido em Nova York, o ator começou como mirim no cinema, participando de cerca de 280 produções em 88 anos dedicados à Sétima arte (ator, dublador de desenhos animados, produtor e cantor). Destaca-se, em sua carreira, a famosa parceria com Judy Garland em musicais dos anos 30 e 40, como O rei da alegria (1940), Calouros da Broadway (1941) e Louco por saias (1943). Outros filmes: A mocidade é mesmo assim (1944), As pontes de Toko-Ri (1954), Bonequinha de luxo (1961), Réquiem para um lutador (1962), Deu a louca no mundo (1963), Diário de um gângster (1972), Meu amigo, o dragão (1977), Uma noite no museu (2006) e Os Muppets (2011).
Rooney foi casado oito vezes, uma delas com a atriz Ava Gardner. Deixa nove filhos. Por Felipe Brida

sábado, 5 de abril de 2014

Nota de cinema


RIP: José Wilker
Uma das personalidades mais influentes da TV e do cinema brasileiro, ator e comentarista de cinema faleceu hoje pela manhã em sua residência, no Rio de Janeiro, vítima de infarto fulminante. Tinha 66 anos.


sexta-feira, 4 de abril de 2014

Nota de cinema


Lançamentos da semana em DVD e em Blu-ray:

A vida secreta de Walter Mitty (Comédia dramática)
Ligados pelo amor (Romance/Drama)
Pedalando com Moliére (Comédia dramática)
Aliança mortal (Ação)
Jogos famintos (Comédia)
Rush: No limite da emoção (Drama)
Azul é a cor mais quente (Drama)
Minhocas (Animação)
Carrie - A estranha (2013 - Terror)
À procura do amor (Comédia romântica)