quinta-feira, 31 de março de 2011

Cine Lançamento

Tron: O legado

Sam Flynn (Garrett Hedlund) é filho de um gênio da informática, o programador de computadores Kevin Flynn (Jeff Bridges), desaparecido misteriosamente há quase 20 anos. O rapaz, em busca de respostas, sai à procura do pai. Descobre então uma passagem secreta na sala onde Kevin armazenava consoles de videogames, aonde acaba adentrando em um mundo virtual. Nesse ambiente desconhecido, Sam irá participar de um perigoso jogo contra bandidos cibernéticos, dentre eles o sósia do pai, que mantém o verdadeiro Kevin encarcerado há décadas.

Produzida pela Disney, está é a continuação de uma cultuada fita de aventura famosa por ser uma das primeiras a utilizar computação gráfica para construir o mundo dentro dos videogames e dos computadores. Chamava “Tron: Uma odisséia eletrônica” (1982), exibida diversas vezes na TV, e que recebeu duas indicações ao Oscar, de melhor figurino e som. Passados quase 30 anos, um novo grupo de produtores de Hollywood resolveu trazer de volta mais uma aventura de Flynn, o expert programador de jogos, que agora está sumido. A boa notícia tanto para os fãs quanto para os aficionados em fitas de ação e ficção é que essa segunda parte faz jus à sua existência: é tão boa e criativa quanto o primeiro. Por isso, não percam! Jeff Bridges, antes o protagonista, aparece pouco. Quem está à frente de tudo é Garrett Hedlund, o filho de Flynn, que quer localizar o paradeiro do pai. Para isso enfrentará um jogo de vida e morte, um torneio brutal contra homens e suas motos velozes, verdadeiras máquinas de matar – tudo isto no ambiente de jogos virtuais. Há dois vilões que serão o tormento para o rapaz. O primeiro é o sósia de Kevin, interpretado por Jeff Bridges com aspecto mais jovial (na verdade, é uma sacada inteligente de efeitos visuais, em que colocam o rosto de Jeff do ‘Tron’ antigo no ator nos dias atuais); o segundo, Michael Sheen, na pele do ensandecido Castor, um ser albino que se veste de branco e tem ideias de destruição em massa. Aquele rapaz que veio do nada, diante dos perigos todos, vai se mostrar o melhor lutador, com o objetivo único de resgatar o pai. Indicado esse ano ao Oscar de melhor edição de som, “Tron: O legado” traz um espetáculo estonteante de efeitos visuais, de tirar o chapéu a cada cena. Mesmo com ambiente dark, as cenas escurecidas são iluminadas pelas roupas extravagantes dos personagens, com cores neon, fluorescentes. Repleto de ação contínua, é um filme de pura adrenalina. Líder de bilheteria nos EUA nos cinemas, no Brasil também chegou ao top dos filmes mais vistos nas salas de exibição. Divirta-se, sem medo de arriscar. Entretenimento garantido! Por Felipe Brida


Tron: O legado (Tron: Legacy). EUA, 2010, 125 min. Ficção científica/Ação. Dirigido por Joseph Kosinski. Distribuição: Disney

Um comentário:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Felipe,
leitor fiel e admirador do seu blog, que visivelmente faz um inteligente e bonito trabalho centrado no universo cinematográfico, escolhi-o para um PRÊMIO-SELO.
Juntamente com o prêmio seguem algumas regras: copiar e publicar o Prêmio-Selo no seu blog, destacar/premiar cinco blogs que admire – e que ainda não tenham recebido tal honraria - e avisá-los da premiação.
Sucesso!
O selo está no final da minha mais recente postagem: “A Difícil Vida Fácil no Cinema”.
Abraço bom,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com