quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Cine Lançamento


E se vivêssemos todos juntos?

Quatro amigos (dois deles casados e um solteirão convicto) mantém uma rica amizade, que dura quase cinco décadas. Quando a saúde começa a ficar frágil, e na tentativa de fugirem do possível asilo, resolvem morar todos juntos, em uma única casa. Assim feito, o ambiente servirá de ponto para discussão sobre vida e morte e um olhar sobre o passado.

Falando francês, Geraldine Chaplin, Jane Fonda e Daniel Brühl destacam-se no elenco dessa fita franco-germânica de tema agradável, que é de um encantamento sem igual. A velhice, em 2012, esteve retratada de forma amarga e desesperadamente terminal em “Amor”, a obra-prima sufocante de Michael Haneke. Aqui, o outro lado ressurge, a leveza da amizade fraterna que rompe barreiras, de amigos com suas esquisitices e manhas que se redescobrem quando vão morar juntos para um cuidar do outro a fim de não recorrerem ao tão temido asilo, lugar para eles de tristeza e falta de tato.
É, acima de tudo, uma comédia dramática sobre as relação humanas e sobre a maturidade da vida. Como seria se eu e meus melhores amigos vivêssemos juntos num mesmo espaço até o desfecho dos nossos dias? A resposta aqui é levada a sério, com muita ternura, apreço e respeito, sem cair em melodramas baratos.
Uma pequena obra cinematográfica de 2011, só agora disponível no Brasil, que faz o dia brilhar. Um autêntico sopro de vida. Conheça.

E se vivêssemos todos juntos? (Et si on vivait tous ensemble?). França/Alemanha, 2011, 95 min. Comédia dramática. Dirigido por Stéphane Robelin. Distribuição: Imovision

Nenhum comentário: