domingo, 29 de setembro de 2013

Viva Nostalgia!


Encurralado

Em uma viagem de negócios pelas estradas da Califórnia, o pacato David (Dennis Weaver) passa a ser perseguido por um psicótico motorista de caminhão.

Originalmente feito para a TV, o segundo filme dirigido por Steven Spielberg virou Cult, ganhando certo público no Brasil nas sessões noturnas exibidas na televisão aberta. Uma obra magnânima, que se define no gênero do terror e suspense psicológicos, com ritmo acelerado e tensão do começo ao fim. A cada cena, Spielberg testa as pessoas que estão assistindo, num jogo cruel de gato e rato entre o pacato cidadão (interpretado pelo falecido Dennis Weaver, sempre bom nos papéis) e o caminhão “fantasma” - o motorista nunca aparece, por isto a dúvida insiste e resiste se a velha máquina tem condutor no volante ou não. Também paira no ar outro incômodo na cabeça do protagonista e até certo momento na do público: é uma alucinação do coitado ou realmente existe um monstro nas estradas?
Criativo, bem planejado, com longos planos sequências de arrepiar e ângulos atordoantes de cima para baixo, o telefilme comprova a marca do mestre Spielberg em início de carreira – ele tinha apenas 25 anos quando realizou a obra, rodada em apenas 13 dias, toda em locações, e com orçamento de U$ 400 mil.
Há uma cena que gosto em particular, quando o personagem central entra em um bar de beira de estrada e espreita angustiado pelos lados, para saber se há alguém ali com aparência de criminoso, que possa ser o motorista desvairado. A câmera no olho do ator, focando o suor em seu rosto e a tensão na cara, é um assombro. Como resultado, temos um filmão de primeira qualidade, inigualável, que deve servir como aula para iniciantes de cinema.
Indicado ao Globo de Ouro de melhor telefilme em 1972, “Encurralado” abriu escola, de fitas road-movies de perseguição em estradas, subgênero tão explorado no cinema americano nos anos 80 e 90.
O roteiro e a história original são de Richard Matheson, falecido em junho passado, aos 87 anos. No Brasil está disponível a versão final do diretor, com 15 minutos a mais que os 74 minutos da original – Spielberg reeditou para lançar em alguns cinemas e depois em home video.
Três anos mais tarde o cineasta realizaria “Louca escapada” e em sequência, seu primeiro sucesso absoluto, “Tubarão” - poucos sabem, mas Spielberg iniciou a carreira bem adolescente, aos 13, com curtas caseiros gravados entre 1959 e 1961. Por Felipe Brida


Encurralado (Duel). EUA, 1971, 89 min. Suspense. Colorido. Disponível em DVD.

Nenhum comentário: